Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 16 - Setembro 2021

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 16 - Setembro 2021

ÚLTIMAS | COVID 19

bvc.jpg

António Costa, esta segunda-feira no Palácio de São Bento, anunciou novas medidas para travar a pandemia.
 O primeiro-ministro afirmou que os portugueses "estão a viver o momento mais grave da pandemia".

Novas medidas restritivas:
Proibida a venda ou entrega ao postigo em qualquer estabelecimento do ramo não alimentar.

Exemplo: Lojas de vestuário
Proibida venda ao postigo de qualquer tipo de bebida
Encerrados espaços de restauração em centros comerciais mesmo em regime de take-away
Proibidas todas as campanhas de saldos que promovam deslocação e concentração de pessoas
Proibida concentração em espaços públicos
Exemplo: Jardins
Proibição de permanência em zonas de frente ribeirinha, com reforço de sinalização de proibição de permanência em bancos, equipamentos de atividade desportiva e outros.
Estabelecimentos encerram às 20h00 em dias úteis e 13h00 aos fins de semana

Os estabelecimentos de qualquer natureza devem encerrar a partir das 20h00 nos dias úteis e às 13h00 aos fins de semana. Universidades seniores e centros de convívio têm de ser encerrados.

Trabalho presencial e teletrabalho
Todas empresas do setor de serviços, com mais de 250 trabalhadores, têm que enviar à ACT a lista nominal de todos os trabalhadores cujo trabalho presencial consideram indispensável, anuncia António Costa.

Proibida circulação entre concelhos
A circulação entre concelhos passa a ser proibida ao fim de semana, avança o primeiro-ministro António Costa.

Reforço do policiamento
António Costa anunciou o reforço do policiamento e da fiscalização em todo o País relativamente ao cumprimento das medidas restritivas.

ATL's em funcionamento
O primeiro-ministro anunciou que os ATL vão manter-se em funcionamento.

Pressão no SNS
António Costa alerta que "até dia 24 a pressão no SNS vai continuar a aumentar" e vai haver mais mortes por Covid-19.

Escolas vão manter-se abertas
"Não se justifica alterar a decisão tomada". António Costa avança que escolas vão manter-se abertas.