Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 6 - Abril 2021

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 6 - Abril 2021

HOMENAGEM A UMA PROFISSÃO | Mulher poema | Eduardo Roseira

Eduardo roseira

Hoje não me apetece falar do Dia Mundial da Mulher, quero antes falar-vosde uma profissão que passo a apresentar, a qual apesarde ser por demais conhecida, poucos são aqueles que lhe atribuem o devido valor.

            É uma profissão muito complexa, multifacetada e na qual o trabalhador embora tenha “patrões”, é patrão de si próprio. O prazo do seu contrato é para toda a vida.

            Quanto a regalias: - Não tem subsídio de refeição, porque a mesma lhe é fornecida pela “empresa” e mesmo durante a refeição encontra-se a trabalhar.

            É-lhe concedido um período de férias, durante o qual na maior parte dos casos, ainda trabalha mais do que nos dias normais do ano, sem receber qualquer bónus pelo trabalho em férias, pelas quais também não aufere subsídio.

            Não recebe qualquer compensação monetária, por trabalho extraordinário, por horas nocturnas, dias feriados e fins de semana.

            O “patronato” não faz descontos para a Segurança Social, não tem seguro e logicamente não usufrui de baixa por doença e estando doente, pode reduzir um pouco a carga horária, mas só um pouco.

            Não existe qualquer Sindicato que lhe valha, dado não ser considerada como profissão.

            Trabalha em média, dezasseis horas por dia, sem direito a qualquer folga semanal. Normalmente o seu dia de trabalho inicia-se às sete horas da manhã e prolonga-se até às vinte e três horas, por vezes indo até mais tarde, porque o seu serviço tem sempre que ser feito, havendo algumas tarefas que não podem ser deixadas para o dia seguinte.

            Está de serviço vinte e quatro horas por dia, podendo por tal, a qualquer momento do seu descanso ser requisitada.

            Em resumo: - Trabalha e não tem regalias nenhumas, nem ordenado.

            Segundo estimativas realizadas, se tivéssemos que atribuir um vencimento a esta profissão que existe, mas não é reconhecida, seria bem maior do que aquilo que aufere um Deputado da Assembleia da República.

            Nesta multifacetada profissão, faz-se de tudo um pouco, como por exemplo:

            - Lavadeira; secretária; enfermeira; telefonista; mulher de limpeza; economista; alfaiate; costureira; educadora de infância e muitas outras tarefas que seria fastidioso estar aqui a enunciar.

            Como já se aperceberam estou a escrever de uma profissão feminina.

            A profissão de MULHER; MÃE; ESPOSA; DONA DE CASA.

Sim é desta que vos tenho estado a falar e à qual hoje no seu dia quero expressar como Homem, as nossas desculpas e a imensa gratidão, nesta simples e sincera homenagem naquele que é apenas um dos seus 365 dias do ano.

Obrigado MULHER!

Eduardo Roseira

            (Jornalista)

MULHER POEMA

dona do meu nascer

porquê do meu existir

razão do meu viver

és mãe!

dona do meu coração

porquê do meu amar

razão da minha paixão

és esposa!

dona da minha continuidade

porquê dos nossos meninos

razão da minha felicidade

és avó!

mãe!

esposa!

avó!

no amor e na pena,

és a minha…

mulher poema!

eduardo roseira

(Poeta)

2 comentários

Comentar notícia