Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 18 - Outubro 2021

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 18 - Outubro 2021

Mulher assim ou assado em diferentes formas de ser e viver | Lourdes dos Anjos

Lourdes dos Anjos

 

MULHER 
Não, mulher...
não és objeto
nem copo vazio
nem beco sombrio
Não és trapo de renda
nem corpo que se venda.
Tua boca não é só beijo carmim
nem palavras falsas e vazias
entre o começo e o fim.
Não, mulher...
és muito mais que um prazer breve
um encontro de esquina, banal,
um roçar de desejo animal.
TU, mulher...
és trave mestra
raiz de vida
seara prenhe de trigo
és sol, amor e abrigo.
Serás , sempre, a palavra que se faz cor
porque guardas em ti a força e o segredo
de parir e erguer um mundo novo, sem medo
onde verdade rime sempre com amor.
 
MULHER
Mulher inteira, em qualquer momento
Alma, corpo e sofrimento
Vida que se reparte uma e outra vez
Sempre que um mais um é igual a três
Mulher atenta, eternamente
Flor, ás vezes sem perfume, mas flor sempre
Rosa com espinhos, magoada
Orquídea altiva e requintada
Margarida branca e singela
Flor sem nome se enfeita qualquer lapela
Religiosamente MARIA
Maria da Graça ,Maria da Paz, Maria da Luz
Quantas Marias das Dores ou Marias de Jesus
Mulher saudade, solidão, luto sem fim
Mulher maresia, trigo, feno, tomilho e alecrim
Mulher terra, arado, semente e ninho
Serenamente, vai rasgando o teu caminho
Sem medo, sem ressentimento
Sem arrogância, sem servil obediência
Sem qualquer estúpida violência
Inventa canções de embalar e segue em frente
Porque há poemas de amor escritos no teu ventre
Mulher mãe, colo, paz., pão, dádiva abençoada
Ama e dá voz á vida
Cura as chagas da tua alma 
 E serás, finalmente:
MARIA SERENA, FELIZ, DIVINA,
COMPANHEIRA, MARIA SANTIFICADA
ORGULHOSAMENTE, MULHER....
SEM MAIS NADA!
 
 
EU - MULHER
 
Nasci mulher
E como gosto de o ser!
Dei forma à vida por amor
E fui Mãe, fui Sol, fui Dor
Escrevi justiça e liberdade no nevoeiro
Que cobre o azul do meu céu tripeiro
Corri carreiros dos montes
Ouvi o cantar das fontes
Senti calos maduros em mãos infantis
E aprendi a lutar e a ser feliz.
Quando se cumprir o meu tempo de crescer
Quero partir com a serenidade de um sorriso
Porque sou tudo o que sonhei ser
E MORRO MULHER!
 
Lourdes dos Anjos

1 comentário

Comentar notícia