Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BAIÃO CANAL - Jornal

BAIÃO CANAL - Jornal

Casa da Cultura da Lixa recebe a exposição Pedra a Pedra em outubro

Mosteiro-de-Pombeiro-Felgueiras-Pedra-a-Pedra.jpg

A Casa da Cultura Leonardo Coimbra, na cidade da Lixa, Felgueiras, recebe a exposição de fotografia “Pedra a Pedra”, de Egídio Santos, entre os dias 6 e 31 de outubro, de segunda a sábado.
A mostra reúne 30 imagens do património cultural, móvel e imóvel, dos 12 concelhos dos vales do Sousa, do Douro e do Tâmega abrangidos pela Rota do Românico.
Esta exposição itinerante esteve já patente no Centro de Interpretação do Românico, em Lousada, no Museu Municipal de Penafiel e no Centro de Interpretação da Cultura Local, em Castelo de Paiva, e segue, agora, para a Casa da Cultura da Lixa e, em novembro, para a Biblioteca Municipal de Felgueiras.
A imagem da pastora que conduz o rebanho sob a proteção divina da Capela da Senhora da Livração de Fandinhães (em Paços de Gaiolo, Marco de Canaveses) foi já distinguida com uma menção honrosa na categoria Fotografia sobre Património, nos Prémios da Associação Portuguesa de Museologia (APOM).
Nascido no Porto, em 1970, com o curso de Fotografia da Escola Superior Artística do Porto, Egídio Santos tem uma carreira de mais de três décadas, repartida entre o fotojornalismo e a fotografia de autor. Fotografou para dezenas de livros, participou em mais de 40 exposições individuais e coletivas, e está representado nas coleções do Centro Português de Fotografia, do Museu do Douro, do Museu do Côa,
entre outras.
O projeto “Pedra a Pedra”, que incluiu também a edição de um livro do mesmo autor com 190  fotografias, enquadra-se no projeto EEC PROVERE Turismo para Todos: Valorização, dinamização e promoção turística da região: Ação 3 — Rota do Românico, cofinanciado pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).
A Rota do Românico reúne atualmente 58 monumentos e dois centros de interpretação, distribuídos por 2 municípios (Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende).
As principais áreas de intervenção da Rota do Românico abrangem a investigação científica, a conservação do património, a dinamização cultural, a educação patrimonial e a promoção turística.