Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 18 - Outubro 2021

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 18 - Outubro 2021

Baião | Consultas de Saúde Mental para a infância e adolescência já decorrem no Centro de Saúde de Baião

CS_Baião.jpg

 

O novo projeto-piloto na área da saúde mental especialmente vocacionado para a área da infância e da adolescência, no âmbito de uma parceria entre o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) e a Câmara Municipal de Baião, já se encontra a funcionar.         

A Equipa Comunitária de Saúde Mental – Infância e Adolescência é um grupo multidisciplinar constituído por médico, psicólogo, enfermeiros, técnicos de serviço social, terapeuta ocupacional e assistente técnico.

Nesta fase estão a ser efetuadas consultas e sessões terapêuticas, que promovem um acompanhamento mais efetivo, em diferentes contextos, às crianças e jovens de Baião.

Este projeto visa prevenir e tratar as doenças mentais no contexto social onde as pessoas estão inseridas, sempre em articulação com outras estruturas e profissionais da comunidade, nomeadamente a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, as equipas de Psicológicos dos Agrupamentos de Escolas e as Unidades de Saúde Locais.

Este novo paradigma nesta área da saúde, permite que territórios mais periféricos como o nosso concelho tenham acesso a serviços especializados, uma vez que esta equipa de profissionais se desloca todas as segundas-feiras, para realizar consultas, sessões terapêuticas, reuniões de acompanhamento e outras ações, que promovam o acompanhamento de crianças e de jovens nos mais diversos contextos.

 

“Devido à dificuldade em agendar consultas desta especialidade no hospital, esta aproximação às populações reveste-se de uma importância muito grande, ainda mais tratando-se de faixas etárias jovens, onde uma abordagem precoce pode fazer toda a diferença”, referiu José Pinho Silva, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Baião e Vereador dos Assuntos Sociais.

Entre as áreas alvo de atuação prioritária estão:

- Bebés e crianças em idade pré-escolar que não estejam a frequentar a creche ou jardins de infância e que estejam aos cuidados de pais com patologia mental identificada;

- Crianças ou adolescentes que estejam em situação de recusa escolar;

- Grávidas ou mães adolescentes.