Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 9 - Junho 2021

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 9 - Junho 2021

Aníbal Styliano |OS PEQUENOS TAMBÉM SÃO GRANDES (6) | Futebol de rua

styliano.png

Hoje é dia de regresso ao passado para reforçar a memória futura.                                         

De região para região, surgiram novas regras com a mesma intenção: jogar futebol.

Jogoscom fortes emoções, jogadas geniais e quando alguém consegue fintar, o aplauso é geral.

Depois, sem interferência de adultos, a liberdade do jogo. Sem transmissões televisivas, sem troféus mas com o reconhecimento e “fama interpares”, não há pais, nem treinadores, a discutir mas lideranças espontâneas… onde, apesar de poder sair de qualquer boca um palavrãozito imparável desconhecem-se palavras difíceis, como corrupção ou suspeição. Tudo é transparente.

A bola cria um mundo novo, um sonho, um tempo único que não nos sai da cabeça e provoca um sorriso diferente,com autenticidade.

As regras do futebol de rua podem servir como uma estratégiade treino nos escalões mais jovens. Uma vez por semana: por sorteio, escolhe-se um jogador; ele levará a bola para o centro; depois marcam-se as balizas com dois sapatos/chuteiras/ténis; escolhem-se dois capitães e, cada um na sua vez, escolhe um jogador, num processo que só termina quando todos estiverem escolhidos. O jogo termina quando uma equipa conseguir 10 golos, ou ao fim de 30 minutos. Se a bola for para um lugar afastado, quem a enviava era quem a teria de a ir buscar. Treinador observa e toma notas de processos e de pormenores. O jogo não tem árbitro, decorre naturalmente.

 

Regras gerais da minha infância (e de muitas outras e com testemunhos afins):

1- O Guarda-redes é quem se voluntariar; caso ninguém queira ir para a baliza, faz-se um sorteio.

2- O jogo muda aos 5 e acaba aos 10 (ou quando todos estão cansados).
3- Mesmo que uma equipa esteja a vencer por muitos, se alguém disser “quem marcar o último golo, ganha”, assim será.
4- Nunca há árbitro.
5- Só se marca falta e livre, se tiver sido um lance que todos viram, ou se alguém se magoar e chorar.
6- Não existe o fora-de-jogo.
7- Se o dono da bola se zangar, pega nela e acaba o jogo. Os outros tentam arranjar logo outra bola.
8- Os melhores jogadores, para não desequilibrarem as equipas, jogam como adversários e são eles que escolhem o resto da equipa; para isso, colocam-se frente a frente, a uma distância marcada por uma linha no solo e vão colocando um pé encostado à frente do outro, alternadamente e em linha, até se tocarem. O primeiro a tocar o pé do adversário é quem começa a escolher.
9- Os últimos a serem escolhidos são os que jogam menos bem.
10- Na marcação dos livres, a barreira fica sempre perto da bola (2 passos no mínimo)
11- O jogo interrompe-se quando passa um adulto ou uma senhora com um bebé.
12- A partida pára quando a bola entra num quintal vizinho ou parte um vidro de alguma casa, ou quando passa um camião, autocarro ou carro. Se forem motas ou bicicletas, pode seguir o jogo.
13- São “adversários ferrenhos” os jogadores do bairro mais perto (a não ser que se mude de residência e nesse caso pode acontecer “transferência”).

14- Os que não sabem dar um pontapé na bola, são suplentes, defesas ou guarda-redes.
15- Pode haver moradores que tentem impedir o jogo (ameaçando que ficam com a bola, ou que vão chamar a polícia).
17- Joga-se como uma final.
18- As balizas são duas pedras, latas, peças de roupa, sapatos e uma equipa vai sempre tentar conseguir ter uma baliza mais pequena.
19- Quando uma equipa marcar um golo por cima do guarda-redes, a equipa adversária vai gritar “FORA”(para que o golo não seja validado).
20- Os “foras” podem são marcados com o pé, ou com as mãos e é possível atirar contra um adversário, árvore ou outro qualquer objecto e seguir a jogada (só é fora se for impossível jogar nesse local).

21- Os muros, árvores e outros obstáculos, podem ser utilizados para tabelar.
22- Num penálti, o guarda-redes sai da baliza e quem vai tentar defender é o melhor jogador.

23- Durante o jogo, quando o resultado começa a ficar desequilibrado, a equipa que vence envia um jogador seu (ou mais que um) para a outra equipa (para dar “forra”, ou seja, para equilibrar o jogo).

24- Todas as bolas são autorizadas (plástico, couro, borracha, papel, meias e outros materiais) e os jogadores podem jogar descalços ou calçados.

Assim nascem sonhos únicos, amizades para a vida e talentos que encantam.

 

Aníbal Styliano (Professor e Comentador)