Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 16 - Setembro 2021

BAIÃO CANAL | Jornal N.º 16 - Setembro 2021

A ÓPERA | Cómica e Buffa | Por Manuel Cardoso.

ParadelaA ópera séria, já tratada aqui em artigo anterior, é a que melhor se enquadra na classificação de ópera lírica, e no seguimento desta desenvolver-se-iam a Ópera Cómica e a Ópera Buffa. É resultado da decadência daquela, que estas duas variantes se desenvolveram no séc. XVIII acabando por sobrepor-se-lhe, salvando assim o respeito do teatro lírico.

É conveniente todavia não confundir ópera cómica, onde o termo cómico tem um sentido muito amplo. Que se diferenciava na origem da grande ópera séria, pelo tema e pelo estilo, cuja ligeireza justificava um uso mais abundante da fala, e a ópera Buffa toda ela cantada.

A ópera cómica, é pois aquela em que a palavra declamada, e o canto se alternam, e cujos assuntos a despeito dessa classificação, “cómica” nem sempre são muito alegres. ( Ver Flauta Mágica de Mozart).

Teve a sua origem em Roma, tomando de seguida nomes diversos, consoante as regiões, opéra comique em frança; Singspiel na Alemanha; Zarzuela em Espanha. 

Em Portugal pela mesma ocasião houve uma tentativa semelhante de ópera cómica portuguesa a “Burleta”. Foi uma estreia promissora mas sem continuidade, apresentada por uma série de 8 pequenas peças com texto de António José da Silva (1705-1739), inicialmente destinadas a fantoches e mais tarde representada por cantores no teatro do Bairro Alto (Lisboa).

 A ópera buffa nasceu e desenvolveu-se em Nápoles no Séc. XVIII e só depois se divulgaria pela Europa, é inteiramente cantada e genuinamente italiana, mesmo quando transportada para a Europa. 

Recebeu o nome do “buffo” (bufão) que era dado aos antigos atores cómicos populares, (ao estilo dos palhaços de circo) por se apresentarem com as bochechas inchadas de modo que ao levarem bofetadas bufassem, provocando divertimento no público.

 
 

"Comedia harmonica" su testo attribuito a Giulio Cesare Croce. Introduzione in inglese di Timothy Knapman

Manuel Cardoso (Paradela)