Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BAIÃO CANAL - Jornal

BAIÃO CANAL - Jornal

Lançamento da Campanha “Taxa Zero ao Volante”

gfto.jpg

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançam amanhã, dia 01 de fevereiro, a Campanha de Segurança Rodoviária “Taxa Zero ao Volante”, inserida no Plano Nacional de Fiscalização (PNF) de 2024.
A decorrer entre os dias 01 e 07 de fevereiro, a campanha tem como objetivo alertar os condutores para os riscos da condução sob a influência do álcool.
Em 2022, dois em cada cinco condutores mortos em acidentes de viação apresentavam uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l e três em cada quatro destes condutores tinham uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l.
Vários estudos científicos demonstram que conduzir sob a influência do álcool causa várias perturbações, designadamente, ao nível cognitivo e do processamento de informação, bem como alterações na capacidade de reagir aos imprevistos e descoordenação motora.
A campanha “Taxa Zero ao Volante” integrará:
• Ações de sensibilização da ANSR em território continental e dos serviços da administração regional dos Açores e da Madeira;
• Operações de fiscalização, pela GNR e pela PSP, com especial incidência em vias e acessos com elevado fluxo rodoviário e de acordo com o PNF de 2024, de forma a contribuir para a diminuição do risco de ocorrência de acidentes e para a adoção de comportamentos  mais seguros por parte dos condutores no que respeita à condução sob a influência do álcool.
As ações de sensibilização ocorrerão em simultâneo com operações de fiscalização nas seguintes localidades:
• Dia 1 de fevereiro, às 13h30: Avenida Marginal, Rotunda da Universidade Nova School of Business & Economics – Campus de Carcavelos
• Dia 7 de fevereiro, às 09:30: EN377-1 – Rotunda da Faculdade, Monte da Caparica A ANSR, a GNR e a PSP relembram que a condução sob a influência do álcool é um risco para a sua segurança e a dos outros:
• Com uma taxa de álcool no sangue de 0,5 g/l o risco de sofrer um acidente grave ou mortal duplica;
• Os acidentes que decorrem da condução sob a influência do álcool são particularmente graves;
• O álcool diminui o campo visual, provocando a chamada visão em túnel. Esta perda de capacidades, bem como as alterações de comportamento que podem levar a estados de euforia e de desinibição, aumentam de forma muito significativa o risco de envolvimento
em acidentes rodoviários.
Das 12 campanhas de sensibilização e de fiscalização planeadas no âmbito do PNF de 2024, esta é a segunda. Até ao final do ano serão realizadas mais 10 campanhas, uma por mês, com ações de sensibilização e de fiscalização.
Na primeira campanha, que decorreu em janeiro, foram realizadas cinco ações, durante as quais foram sensibilizadas cerca de 600 pessoas presencialmente. Quanto a ações de fiscalização, o número de condutores fiscalizados presencialmente foi perto de 49.500 e cerca de cinco milhões
de veículos foram fiscalizados através de radares.
As campanhas inseridas nos planos nacionais de fiscalização são realizadas anualmente pela ANSR, GNR e PSP, desde 2020, com temáticas definidas com base nas recomendações europeias estabelecidas para cada um dos anos.
O PNF de 2023 consagrou como prioritários os temas Velocidade, Álcool, Acessórios de segurança e Telemóvel.
Relativamente a 2024, para além dos quatro temas acima referidos, foi ainda adicionado um novo capítulo sobre a fiscalização dos veículos de duas rodas a motor.

A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada.

Nota de Imprensa | Guarda Nacional Republicana de Baião sem carros-patrulha

VFE.png

De acordo com notícias vindas a público, o último carro operacional no posto da GNR de Baião terá ficado esta terça-feira, 30 de janeiro, sem embraiagem, e assim, o concelho de origem do Senhor Ministro da Administração Interna fica apenas com patrulhas a pé ou a ter de solicitar
apoio ao efetivo dos concelhos vizinhos de Marco de Canaveses e Amarante.
Dos quatro carros afetos ao posto de Baião, um não terá passado na inspeção e foi enviado para a oficina há várias semanas, os outros dois têm avarias por resolver e no início desta semana a restante viatura que estava afeta ao Posto da GNR de Baião, com mais de 600 mil quilómetros, teve de ser levado de reboque para uma oficina.
Não deixa de ser irónico que no próprio concelho do Ministro que tem afirmado publicamente que estamos perante “a maior lei de programação de investimentos em infraestruturas de que há memória", acrescentando que "são 607 milhões de euros, cujo investimento está já a
decorrer por todo o país, para melhorar as condições de trabalho das forças de segurança";, a GNR, afinal, não tem condições operacionais.
O PSD, nomeadamente na Assembleia da República, tem alertado e afirmado que é necessário garantir um investimento contínuo, programado e efetivo nos equipamentos, e na renovação das estruturas das forças de segurança.
E embora o Governo fizesse constantemente “exercícios” de propaganda, foi notória a baixa execução da Lei de Programação de Infraestruturas e Equipamentos das Forças e Serviços de Segurança relativamente ao investimento que se encontrava programado, com níveis de execução muito aquém do previsto e anunciado: a falta de meios, a degradação das instalações, a falta de viaturas operacionais, a escassez de equipamento e a obsolescência dos meios tecnológicos tem comprometido as condições de trabalho das forças de segurança.
Para além dos problemas da frota automóvel, as obras de reabilitação do Posto Territorial da GNR de Baião ainda não viram a luz do dia, após a pomposa cerimónia de assinatura do respetivo protocolo pelo MAI. Para além de incompreensível, a situação do Posto da GNR de Baião demonstra o estado depauperado que as forças de segurança em Baião se encontram e revela a urgência no reforço dos meios de que carecem as forças de segurança, confirmando que a realidade diária das forças de segurança desmente os anúncios e a propaganda do Governo socialista.
O Partido Socialista tem sistematicamente virado costas ao concelho de Baião e por isso, PSD Baião vem assim demonstrar a sua preocupação e exigir que esta situação se resolva o mais depressa possível. Baião não pode sofrer mais com a incompetência socialista. 

PSD BAIÃO

Nota de Imprensa |Construção da nova ponte em Anquião-Gestaçô arranca em fevereiro

des1.JPG

A obra de reconstrução da ponte sobre o rio Teixeira, em Anquião-Gestaçô, na ligação geográfica entre os concelhos de Baião e Mesão Frio, vai começar na segunda quinzena de fevereiro.

Recorde-se que a travessia se encontra interdita ao trânsito automóvel, desde o ano passado, na sequência de um acidente rodoviário que provocou a derrocada da grade de proteção de uma das margens da passagem sobre o rio Teixeira.

A decisão de interdição foi tomada pelos presidentes de Câmara de Baião, Paulo Pereira, e de Mesão Frio, Paulo Silva, na sequência dos resultados apresentados após Vistoria Técnica de Emergência, sobre as condições da estrutura e no sentido de acautelar a segurança de pessoas e bens.

Tratando-se de uma obra prioritária, foram agilizados os procedimentos de modo que o processo se desenvolvesse de forma célere, havendo, no entanto, a obrigatoriedade de seguir todos os requisitos implicados no cumprimento de prazos legais.

Tendo sido adjudicada no dia 31 de outubro, verificou-se que, em consequência das condições atmosféricas, das fortes chuvas que se fizeram sentir, o caudal do rio Teixeira subiu de forma considerável, o que, até agora, tem inviabilizado o início dos trabalhos.  

Os dois autarcas têm acompanhado de perto o processo desta obra, conscientes do transtorno que a interdição da travessia continua a causar à população. O presidente da Câmara de Baião, Paulo Pereira, garantiu que “tem sido feito tudo o que é possível para que, com a maior brevidade, seja reposta a normalidade da circulação”, assegurou.

Também o autarca de Mesão Frio, Paulo Silva, adiantou que, em articulação com a Câmara de Baião, “não se tem poupado a esforços no sentido da celeridade do processo”, destacando que foi o reconhecimento da urgência que levou os dois municípios a estabelecerem o acordo para a concretização da obra.

O local da travessia foi visitado no dia 29 de janeiro por técnicos municipais, pelo presidente da Junta de Freguesia de Gestaçô, António Bento, e por um responsável da empresa que irá construir a ponte, para avaliação da possibilidade de início da obra, em função do caudal do rio Teixeira, concluindo-se pelo início dos trabalhos durante o mês de fevereiro, caso as condições atmosféricas o permitam.

Os trabalhos a realizar, no valor de cerca de 145 mil euros, consistem na demolição da atual estrutura e na construção de uma nova ponte com 5 metros de largura, que irá permitir a circulação, em simultâneo, nos dois sentidos. O prazo de execução é de 120 dias.

Todo o processo de construção da nova ponte está a ser conduzido pela Câmara Municipal de Baião, no âmbito do acordo celebrado entre os dois municípios, e no sentido da agilização do processo, sendo que os custos envolvidos na empreitada serão repartidos, em partes iguais, pelos municípios de Baião e de Mesão Frio.